fbpx
OR
Vizinhança

Na “nova política” de Ratinho, cargos viram cabide de emprego para políticos derrotados

Escrito por Rogerio Galindo
Compartilhe

Quatro ex-deputados ganharam sinecuras no governo de Ratinho Jr., apesar das promessas de “nova política”

Compartilhe

O governador Ratinho Jr. (PSD) se inclui sem falsa modéstia em uma nova safra de políticos no Brasil. Teoricamente, a “nova política” seria caracterizada como uma nova corrente em que as práticas ilegais e ultrapassadas da “velha política” não têm vez.

Entre os pilares dessa “nova política” estaria o fim da indicação excessiva de políticos para cargos que exigiriam conhecimento técnico. Mas no segundo mês de governo, Ratinho já nomeou quatro ex-deputados estaduais para serem seus assessores – dois deles foram derrotados nas eleições do ano passado.

O primeiro nome é o do ex-deputado Alexandre Guimarães (PSD), nomeado para o cargo de Assessor Especial da Vice-Governadoria. O parlamentar já teve R$ 47 mil bloqueados pela justiça em 2017, por gastar “dinheiro público de forma abusiva e indiscriminada”. Guimarães recorreu da decisão no Tribunal de Justiça e foi inocentado, mas não se reelegeu.

O ex-deputado Claudio Palozi (PSC) também foi nomeado pelo governador. Vai ocupar o cargo de Superintendente do Serviço Autônomo Paraná Educação. Ele também não foi reeleito em 2018.

Rasca Rodrigues (Podemos) não tentou a recondução ao cargo de parlamentar; porém, foi nomeado para a função de Diretor Geral da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, comandada por outro político, o deputado Márcio Nunes (PSD).

O ex-deputado estadual Luiz Accorsi (PSDB) também será parte do governo e vai exercer, em comissão, a função de Assessor da Governadoria.

Em nota, a Casa Civil diz que os nomeados atendem os requisitos para suas funções. No caso dos ex-deputados, a escolha foi justificada como fundamental pela “experiência que eles têm na vida pública e pelo grande conhecimento dos problemas dos municípios e das demandas da população”. O texto também destaca que os ex-parlamentares estão familiarizados com a tramitação de processos do Executivo e podem contribuir para um bom relacionamento com o Legislativo.

Primeiro escalão

Ratinho Jr. já havia escolhido quatro parlamentares com mandato e de seu partido para integrar o governo, caso dos deputados estaduais Guto Silva (Casa Civil) e Márcio Nunes (Desenvolvimento Ambiental e Turismo), e os deputados federais Sandro Alex (Infraestrutura e Logística) e Ney Leprevost (Justiça, Família e Trabalho).

Outro político nomeado foi o deputado federal Reinhold Stephanes (PSD), escalado para a nova pasta da Gestão Pública, que cuida das áreas de administração e previdência.

Sobre o autor

Rogerio Galindo

Rogerio W. Galindo é jornalista e tradutor. Responsável pelo blog Caixa Zero, é um dos profissionais que criaram o Plural.jor.br

Deixe seu comentário