fbpx
Caixa Zero | Rogerio Galindo

Congelamento de salário de Ratinho é mera demagogia

Foto: Rodrigo Félix Leal/ANPr
Escrito por Rogerio Galindo
Compartilhe

O congelamento do salário de Ratinho Jr. (PSD) é mais uma jogada de demagogia barata. Nesses seis primeiros meses de governo, demagogia barata foi o que não faltou. Faltaram firmeza, solidariedade, planejamento. Mas isso é outra história.

Apresentado por nove deputados, o projeto que congela o salário de Ratinho no patamar que ele recebe hoje é supostamente uma prestação de contas. No mesmíssimo momento em que nega reajuste a trabalhadores com defasagem gigantesca, que lhes consome dois salários por ano, a Assembleia estaria mostrando que o “sacrifício” é de todos.

Ora, Ratinho poderia receber R$ 39 mil. Com o gesto altruísta, terá só R$ 32 mil. Não se qualifica exatamente para receber o Bolsa Família. Ao mesmo tempo, a proposta de reajuste oferecida aos servidores concede R$ 20 de reposição para os policiais militares num primeiro momento, por exemplo.

Ratinho devolveu um avião de R$ 4,5 milhões, e gastou a grana fazendo propaganda de seu altruísmo. Derrubou a aposentadoria de futuros governadores, e não economizou com isso um centavo para o estado, a não ser pelo dinheiro que seria pago a Cida Borghetti (PP).

São medidas que não mudam nada. Coisa para inglês ver. E enquanto isso os cofres continuam sangrando com publicidade, com isenções tributárias bilionárias e outros ralos em que ninguém tem a coragem de mexer.

O jornalismo preciso, sério e de qualidade do Plural só é possível graças ao apoio de nossos assinantes. Todos os dias publicamos uma média de 23 reportagens, colunas, crônicas, análises, charges, tirinhas, literatura e muito mais. Nada disso é de graça, mas está disponível porque há quem invista em informação plural de qualidade. Apoie essa ideia. Assine o jornalismo do Plural.

Sobre o autor

Rogerio Galindo

Rogerio W. Galindo é jornalista e tradutor. Responsável pelo blog Caixa Zero, é um dos profissionais que criaram o Plural.jor.br

Deixe seu comentário