CPI, Covid-19, corrupção. Será que no Brasil todas as vidas importam? - Jornal Plural
30 jun 2021 - 15h01

CPI, Covid-19, corrupção. Será que no Brasil todas as vidas importam?

Até quando vamos negar nossos problemas sociais, ao invés de buscar caminhos e estratégias sustentáveis para começar a solucioná-los?

A CPI da Covid, não obstante a todas as dificuldades e empecilhos colocados para o seu andamento, começa a apresentar indícios de corrupção e fraudes na gestão da pandemia em nosso país. Sobretudo no que diz respeito à compra de vacinas. Entretanto, maiores investigações são necessárias para evitar juízos ligeiros e equivocados.

De qualquer maneira, diante de um cenário claro de má gestão, marcado por controvérsias, pelo negacionismo e com suspeitas de fraudes, é preciso reconhecer que – independentemente dos resultados das investigações da CPI em andamento – as estratégias adotadas para o combate ao coronavírus no Brasil, até aqui, são no mínimo insuficientes. Em algumas situações até acabaram colaborando para agravar um quadro que, desde o seu início, se mostra muito grave. Dentre elas talvez a principal seja o atraso na vacinação da população.

Em um momento no qual todos os esforços deveriam estar voltados para controlar e superar essa grave crise sanitária, alguns políticos e seus apoiadores parecem mais preocupados em manter as aparências e garantir votos para a reeleição. Não importa se as estratégias para isso forem absurdas, chegam ao ponto de espalhar notícias falsas, negar a eficácia das vacinas, promover o ódio e acirrar a polarização. Dessa maneira, originam o caos e minimizam ao máximo a reflexão, acreditando que talvez seja possível manter-se no poder.

Acrescente a isso um falso moralismo anunciado que pretende preservar valores como o da família e da religião. Mas, contraditoriamente, desconsidera o valor da vida. Seletivos, para eles importa apenas os próprios interesses – e os daqueles que lhes sejam favoráveis –, fazendo o que é necessário para que prevaleçam. Dessa forma, a afirmação de que todas as vidas importam não parece fazer sentido e nem é bem recebida em alguns espaços. O negacionismo, o autoritarismo, a ignorância e o radicalismo de alguns escancaram nossas profundas contradições e desigualdades cujas raízes remontam a um passado de colonização e exploração.

Até quando vamos negar nossos problemas sociais, ao invés de buscar caminhos e estratégias sustentáveis para começar a solucioná-los? Quem esse cenário caótico de suspeitas e desconfianças constantes favorece? Para além de preferências políticas – e seus interesses correlatos – é preciso atentar-se para o valor da vida. Para o fato de que sim, todas as vidas brasileiras importam. Viver plenamente só será possível se nos importarmos com a vida dos outros. Trata-se, curiosamente, de uma regra de ouro para muitas religiões. É preciso substituir o “salve-se quem puder” pelo salve o outro e ele também te salvará.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Um comentário sobre “CPI, Covid-19, corrupção. Será que no Brasil todas as vidas importam?

  1. Muito esclarecedor e reflexivo o texto do meu amigo Luiz Fernando! Acompanharei todas as publicações! Obrigada por socializar boas análises no campo da atual conjuntura política.
    Grande abraço !
    Sarita Fortunato

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias